Estratégia de Formação

Além de apoiar as comunidades ribeirinhas do Baixo Rio Madeira, um objetivo fundamental do NAPRA é contribuir para a formação de seus voluntários, sensibilizá-los e torná-los multiplicadores para lidar com os desafios socioambientais contemporâneos, sobretudo em relação à Amazônia Brasileira.

Diferentemente da proposta de formação tradicionalmente utilizada nas instituições de ensino superior, os membros do NAPRA aprendem por meio de atividades teóricas e práticas que se complementam e, a partir delas, são preparados para atuar com as comunidades ribeirinhas, visando contribuir na melhoria de suas condições de vida e na conservação da Amazônia.

O programa de formação do NAPRA realiza a preparação dos novos integrantes para atuação nas comunidades apoiadas em atividades teórico-práticas, realizadas de novembro a junho nas quatro regionais e nas Reuniões Gerais mensais em São Carlos/SP. Contudo, compreendemos também que a atuação nas comunidades e o momento pós-vivência de avaliação e elaboração de relatórios, fazem parte do processo de formação dos integrantes, somando-se em um ciclo anual de formação (novembro a outubro). Portanto, o ciclo abarca três etapas com atividades presenciais e não-presenciais de estudo – (1) preparação, (2) atuação e (3) avaliação – com conteúdos diferenciados em relação aos objetivos e princípios da organização.

1ª Etapa

De Novembro a Junho os integrantes do NAPRA passam por MÓDULOS TEMÁTICOS de formação sobre o Contexto Amazônico, por meio de:

  • Leitura de textos e estudo de materiais audiovisuais relacionados aos temas propostos para cada mês;
  • Oficinas de formação organizadas pelos coordenadores do NAPRA;
  • NAPRA Convida – palestras, debates, mesas-redondas ou oficinas realizadas por um especialista externo do tema a ser estudado pelos membros, trocando experiências com o grupo;
  • Cine-debate: exibições de longas, curtas-metragens ou outras obras audiovisuais seguidas de debates entre os membros;

Além da formação teórica, propõe-se que os voluntários do NAPRA realizem a prática por meio de atividades desenvolvidas em pequenos grupos de trabalho (GT’s), regionais e gerais (Ver Estrutura Organizacional).

São exemplos de atividades práticas nas Regionais: divulgação da causa Socioambiental Amazônica; arrecadação de recursos para os projetos e para funcionamento da organização; grupos de estudo e de trabalho referentes aos temas propostos. Estas atividades são de cunho educativo e contribuem para o aprendizado prático de trabalho em grupo e transdisciplinar.

São exemplos de atividades práticas nas Reuniões Gerais: Planejamento e Elaboração dos Projetos, Dinâmicas de Grupo e outras atividades correlacionadas com a temática do mês.

A formação teórica, em conjunto com as atividades práticas, potencializam o aprendizado dos novos ingressantes, que corrobora para uma efetiva participação na gestão da própria organização e dos projetos executados.

Objetivos da Preparação (Formação teórico-prática)
Criar condições para que os voluntários compreendam a realidade local, os grupos com que irão trabalhar e as demandas que buscarão atender para planejarem os projetos de atuação. Preparar o “espírito” do grupo que irá partilhar a experiência, propiciando a potencialização do aprendizado por meio do diálogo e da reflexão.